Sinopse[edit | edit source]

"Devon, um estranho jovem se une ao clube de drama, uma organização governamental sobrenatural disfarçada de curso de teatro. Porém muito mais que uma peça, estes são incumbidos agora de uma tarefa mortal que ninguém mais pode cumprir.

O fenômeno cresce em Memphis assim como os índices psicóticos e as pessoas internadas no sanatório. A jornada pela libertação mental é apenas o começo, do apocalipse que se esconde na camada mais profunda de nossos pensamentos."

Enredo[edit | edit source]

(CONTÉM SPOILERS).

01 - Cicatrizado[edit | edit source]

Devon é convencido por sua psicóloga a voltar à escola depois de tê-la largado em algum momento, porém em seus portões seu arrependimento é evidenciado por seus pensamentos extremos e pessimistas.

Na sala dezesseis, aonde devia estar matriculado, comentários e murmúrios sobre sua aparência são ouvidos, enquanto o jovem cicatrizado tenta dormir para fugir do ambiente que não queria estar desde o principio. O garoto entra em uma discussão com o professor da sala (Senhor Frade) por não estar prestando atenção, irritado, é chamado até a lousa para responder a questão. Sua resposta é "Queimem no inferno".

Após ter escrito a ofensa e derrubado o quadro negro, o mesmo foge para o terraço da escola, aonde na teoria ninguém poderia acabar com sua pouca paciência. Syra, um estudante mais velho e de bom gosto com cigarros o interrompe, e tenta interrogá-lo sobre os rumores e sua cicatriz. Devon pede um cigarro educadamente, apenas para surpreender Syra com dois socos, o nocauteando. O garoto percebe que odeia aquela marca de cigarros finos, e apaga o seu na testa do fumante desmaiado, com isso tem uma ideia para se vingar da escola.

Animado com sua ideia repentina, desce a escadaria. Percebendo a movimentação de professores e alunos fora da sala, o mesmo enta na primeira a sua frente e aborda uma menina para perguntar sobre seu próximo destino, o Almoxarifado. Mentindo sobre seu nome para a funcionária do local, Devon consegue três garrafas de álcool para "limpar a lousa".

Ao chegar na sala, há apenas dois alunos guardado seu material. Ele os intimida e os faz ajudar a colocar todas as carteiras e cadeiras junto a lousa, os três colocam fogo. Saindo da sala, o mesmo se finge de vítima e grita sobre como a sala está queimando.Saindo do local com um sorriso no rosto, cantarolando uma música de sua banda favorita e terminando-a em apenas um assovio.

02 - Endereço do Destino[edit | edit source]

Atormentado por seu ataque psicótico em sua antiga escola, Devon é abordado por Syra e outros três companheiros ou capangas em um beco próximo à rua Saint Alley. Os jovems brigam e desferem golpes em movimentos violentos, e após ser chamado de louco, o garoto cicatrizado fica furioso com a ofensa e novamente nocauteia o jovem fumante que agora tem uma cicatriz também, porém em sua testa.

Tentando se acalmar sobre os incidentes no topo de um edifício abandonado, Devon contempla a visão cinza de Memphis. Assim que o sol bate em seu rosto, acanhado o jovem se vira ao redor, onde vislumbra uma visão que não lembrava de estar ali, um camêlo.

Confuso sobre o que diabos um camelô estaria fazendo num prédio abandonado, o garoto investiga a carroça que vende blocos de papéis escritos de tamanhos, letras e cores diferentes. Um homem velho, de olhos de safira e aparentemente cego, surdo e mudo o estende a mão em troca de um dos papéis. Devon diz que não tem dinheiro, e o homem insiste. Decide então olhar seu bolso para verificar, quando encontra uma moeda com a figura de um coelho nos dois lados, sem valor algum. O velho aceita, e o dá um bilhete amarelo com a seguinte escrita:

“ Avenida Hallen, número 350.
 Torre de Babel, último andar.
Cobertura, lado norte.
 Hoje, meia noite.”

Ao virar-se para perguntar ao camelô o que aquilo significaria, a carroça não estava mais lá. O jovem é deixado sozinho com as dúvidas sem respostas. Curioso, se dirige ao endereço do bilhete, aonde percebe a Torre de Babel, o maior prédio do mundo.

Derrotado por subir tantos lugares depois de roubar a chave de um funcionário, o mesmo finalmente chega ao final do aranha-céu para perceber a figura nua de uma garota de cabelos ruivos e uma cicatriz em forma de "x" em seu tórax (Ray Uverbold). Vislumbrado pela bela figura, Devon vai até a mesma no momento que a garota pula o edifício para se suicidar, salvando-a de um quilometro de queda até o chão. Os dois se olham, e se indagam o porquê daquilo, até quem um véu aparece ao céu, levando-os para um outro mundo.

03 - Espelhos e Vidros[edit | edit source]

Pensando sobre sonhos e até sobre a morte, Devon se depara a um mundo diferente de sua realidade, aonde a névoa se estende entre campinas verdes e termina um palácio de vidro azul no horizonte.

Refletindo sobre si e o mundo, o mesmo se interessa pelo palácio e decide explorá-lo, apenas para encontra mais escadarias, e uma arquitetura em vidro que nenhuma construção real poderia ser feita. É recebido com um chute pela garota que salvara, agora vestida, que aparentemente o amaldiçoa por a ter salvado. Os dois discutem, e a garota revela que aquele mundo é "pior que a própria morte" e o motivo do suicídio era fugir justamente do que os dois encontrariam ali.

Uma criatura os segue pelos andares, e os dois decidem subir juntos. Para tentar explicar sobre onde estavam e por quê tinha algo seguindo-os, a ruiva começa a falar de Raven Bureau, Um escritor ocultista que guarda enigmas e mensagens profundas em suas obras, que nunca sequer foi visto. Ela o indaga o por quê um autor de fantasia comum poderia vender tanto numa cidade cética como Memphis era, ela então responde, Bureau esconde mensagens sobre realidades alternativas criadas por pressões emocionais. Devon desacredita dela, mas por que então os dois estariam ali?

O perseguidor os ataca, na verdade um ser idêntico à garoa ruiva. Um Doppelganger que não falava, e apenas perseguia aquela que era sua igual para trazer a si mesma tortura, e no fim uma morte dolorosa. A criatura não tem interesse em Devon e o ignora para atacar sua semelhante. A garota ruiva pede então para matar o doppelganger, um véu aparece diante o salão de vidro, e a mesma diz para deixá-la naquele mundo, já que mesmo que fuja, ou mate a criatura, ela retornará para matá-la em outra oportunidade. Ele nega, e a ajuda a sair pelo véu, enquanto o doppelganger está nocauteado, os dois pulam do véu até a uma das janelas da torre de babel, por sorte não caindo.

04 - Convite Cortês[edit | edit source]

Community content is available under CC-BY-SA unless otherwise noted.